20 fevereiro, 2018

Quaresma 2018

É preciso aprender a silenciar a mente e termos uma certa disciplina para não nos deixarmos levar pela corrente. Pelo consumismo característico dos dias de hoje, pela facilidade com que se fala da vida de um ou outro amigo, pela forma como somos absorvidos pelas redes sociais. O tempo que lá passamos e todos os estados de espírito que isso gera em nós.

.

A Quaresma é para os cristãos um tempo de excelência para este acolhimento interior.
Passei muitos anos da minha vida a passar pela quarta-feira de cinzas sem lhe perceber bem o significado. Apenas sabia que não se devia comer carne (...).

Para mim, que quase não como carne e até a dispenso não seria preciso nenhuma disciplina.

14 janeiro, 2018

Bem-vindo 2018 (com pequeno balanço)

As notificações do blog indicam-me que não escrevo há mais de 100 dias. Parece tanto e foi tão pouco. Os nossos dias sempre ocupados, a acompanhar o crescimento de duas meninas maravilhosas que nos enchem o coração mas também nos testam os limites, a paciência, nos obrigam a ser criativos, umas vezes permissivos, outras tantas limitadores. A educação, o mimo, as cedências, a motivação, as rotinas, a alimentação, as regras, as relações, a amizade, o amor. O amor.

Setembro
Mudámos de casa com tudo o que isso implica. Uma mudança para melhor em alguns aspetos, exigente noutros.

Outubro
Não dei pelo mês passar. Tive uma experiência de voluntariado que me marcou bastante na Comunidade Vida e Paz.
Estava ansiosa e expectante de que esta experiência despertasse em mim o cumprimento de um certo propósito.
Quando fui, senti um bocadinho de orgulho da ação que estava a tomar. E sentia (continuo a sentir) esta necessidade de dar mais aos outros.
Foi à noite e quando terminou a volta, eram próximo das 2h, eu estava com dores de cabeça, nas costas e uma grande vontade de chegar a casa. Mas estava feliz por ter chegado ali e identifiquei-me com o altruísmo das pessoas com quem me cruzei.
Os gestos, os olhares, os cheiros, os sítios. As arcadas que estão a ser fechadas com grades para afastar os sem abrigo, uma Igreja por onde dormitavam várias pessoas, um sem abrigo que urinava demasiado próximo dos outros que dormiam, um senhor que chamava de mãe a uma voluntária, dois ou três casais que se aconchegavam um no outro; alguns idosos, alguns cães, todos com um rosto e uma identidade. 120 ceias.
A noção de que existe a CVP a passar pelos sem abrigo com que me cruzo diariamente ajuda-me a serenar o coração.
A propósito de coração, foi ele que me conduziu à Comunidade e também foi ele que me disse que não é o momento certo para me disponibilizar para este compromisso.
A Instituição faz um trabalho notável e em Dezembro a RFM deu-lhe visibilidade com a Campanha “tenha um Natal a meias”.

Novembro
Procurei sintonizar-me mais com a minha essência. Nem sempre é fácil sermos fiéis a nós mesmos mas acho isso TÃO importante. Se vivemos com as expectativas e referências dos outros, por muito bem intencionadas que sejam, acabamos por não nos sentir completos. É importante conhecermo-nos bem - para melhor sabermos corresponder com as nossas necessidades. Este é um caminho sempre incompleto mas que procuro trilhar.

Dezembro
O mês de excelência para a família, para nos recolhermos.
Tive várias decisões a propósito desta época sendo a mais objetiva a redução de presentes. Muito haveria aqui a acrescentar. O que é o mais importante desta época? Onde investimos o nosso tempo? De que forma nos dedicamos aos outros durante todo o ano? Como vivemos as celebrações desta quadra? (...)

A Nô fez 2 anos e 4 meses e a Carminho 4 anos e 8 meses. Deixei de contar os meses há algum tempo mas achei curioso neste mês a mana mais crescida ter exatamente o dobro da idade da Nô.
São tão cúmplices e tão diferentes. A Carminho gosta de beijinhos suaves e colinho, a Leonor de olhares marotos e desafios.  Preenchem o meu coração de forma transcendente e fazem-me questionar tantas coisas. Todos os dias, sem exceção, penso que gostava de estar mais tempo com elas.

O que mais desejo para este ano é que tenhamos saúde, inteligência e vontade para ordenarmos tudo na nossa vida para o amor.

Um feliz ano novo a todos.

Bjo. A.


20 setembro, 2017

Bodas de Lã


A vida tem fluido e um conjunto de mini decisões se têm tomado.
 
Ontem, no dia em que celebrámos o aniversário de casamento foi nos dada a chave da nossa nova casa.
 
O início do que desejamos ser em tudo igual, mas com mais espaço para brincar, viver e criar memórias felizes.
 
Podíamos ter escolhido outra, com outras características, outra identidade. Não foi a única possibilidade, foi o resultado de uma decisão pensada que só o tempo nos dirá se foi acertada ou não.
 
Ontem, não resisti a ir mostrar a casa às meninas. A C entrou entusiasmada como que gostando mesmo antes de ver; a L entrou ao colo, demorou a sentir segurança mas ao fim de algum tempo, correu na sala a rir e a fazer tontices em jeito de aprovação.
 
Estamos em limpeza e pinturas – e assim estaremos nos próximos dias. Só não podemos ir a uma varanda que tem uma pomba e dois pombinhos acabados de nascer que ali se irão preparar para voar.
 
 
No dia de hoje, do outro lado do oceano, ocorre um sismo trágico onde estávamos a chegar há precisamente 7 anos.
Instala-se dentro de mim um vazio e uma gratidão que se ligam de forma inexplicável. Há coisas terríveis que acontecem e a única coisa que está ao nosso alcance é praticar o bem, ensinar, rezar e agradecer.

04 setembro, 2017

Serenidade

Há momentos que devem ser construtores da nossa história e da nossa identidade.

Nem sempre o reconhecimento vem na hora que queremos nem com o formato que desejamos. Devemos, na minha opinião, ser humildes no relacionamento com os outros, perseverantes, coerentes com os passos que damos e consistentes nas nossas atitudes.

Não conseguimos - nem devemos querer - agradar a todos.

Se formos fiéis a nós próprios, os outros vão gostar de nós assim, com as qualidades e defeitos que temos. Quando os outros são as pessoas certas vão gostar daquilo que são as nossas características intrínsecas.

Há pessoas que me inspiram pelo seu exemplo, rigor, discrição, sentido de inclusão, olhar, gratidão e fé.

Há pessoas que tornam momentos circunstanciais em momentos que nos preenchem a alma. Este Setembro começou assim.
 

25 agosto, 2017

Do nosso Agosto

"O nosso templo é o aqui e o agora. É aqui que eu posso pôr os pés no chão, encontrar uma pessoa e olhá-la, receber o Espírito, abstrair-me do que não interessa. Por isso é que a oração descansa imenso. (...) E por isso não se pode rezar como quem liga um botão, uma máquina, porque por vezes estamos ofegantes. Precisamos fechar os olhos, tomar consciência de onde estamos, respirar fundo, procurar o objetivo. E ai a conversa acontece. Tal como a conversa de duas pessoas, com ritmo."
Pe. Vasco Pinto Magalhães. 



29 julho, 2017

Duas semanas: here we go!

Começo as férias 'hoje' e apenas estou moderadamente contente 

Neste últimos dias não fui tão produtiva quanto gostaria, tive muitas arrelias, preocupações e o corpo sente o desgaste que isto causou. Por outro lado demos um passo grande, desejado há cerca de 2 anos e que precisou deste tempo precioso para amadurecer ideias e decisões.

Nestas férias desejo muito encontrar-me comigo. 

Estar em família, usufruir da minha companhia, ter paciência com as meninas e com eventuais birras que irão surgir, vê-las crescer e apreciar todos os minutos.

Ir à praia sem pressas, sem pensar em compromissos, ouvir música que me tranquilize, passear, planear a mudança que aí vem e estar. Estar demoradamente.

Sinto uma necessidade urgente de contrariar o ritmo a que fazemos tudo.

Sinto necessidade de me recolher, de abraçar, de rir e de rezar para que tudo corra bem.